18.11.08

Há uns tempos, vi um livro - infantil? para pré-adolescentes? - chamado Diário de um Banana, meio hq, meio prosa. Fiquei curioso, mas não comprei. Depois descobri que ele está na rede, em inglês. A Interface é chatinha, mas recomendo assim mesmo.

16.11.08

Constantemente, alguém diz que o inglês está se fragmentando e logo vão existir muitas versões da língüa. Eu não acredito nisso. Mesmo que a maioria dos falantes sejam estrangeiros, há uma base comum muito forte e constante de filmes e publicações para que aconteça com a língüa o mesmo que aconteceu com o latim.

14.11.08

Alguns comentários sobre o intelectual público, essa figura misteriosa.

13.11.08

12.11.08

Smile, You’re Under Arrest é provavelmente o reality show mais cretino na existência.
Departamento de Aquisição - Edição Festa do Livro da USP





11.11.08

Uma coisa que desejo há alguns anos é um ex-libris. Volta e meia me deparo com alguma coleção ou galeria e a vontade de fazer um carimbo ou adesivo para marcar meus livros aparece de novo. Existem diversos à venda, mas eu queria um exclusivo. O problema é que não consigo me decidir quanto à imagem e a frase.

O pior é que tenho um monte de amigos designers, que poderiam desenhar o troço caso eu conseguisse escolher.
Uma breve história dos negros na Casa Branca.

5.11.08

Por que - a exemplo de All Star Superman - os quadrinhos de Grant Morrison são tão bons.
Um dos pioneiros das pesquisas em interfaces, Alan Kay, esculhamba os computadores atuais.
O Gengibre é um serviço que permite publicar mensagens sonoras direto do celular. Ele poderia se tornar uma ferramente interessante de radio amador na Internet, mas provavelmente vai se tornar mais uma forma de diarismo contínuo e liquefação cognitiva. Prevejo pedaços de músicas tocadas em shows e clubs sem que ninguém consiga entender nada, gente gritando que a festa está massa e entrevistinhas cretinas. Daí alguém descobre um uso interessante para o negócio - como o Listener de Warren Ellis ou o um Quiet American quase em tempo real, gruda um RSS ou arruma um jeito de integrar os posts automaticamente com o Twitter e ta-dá, tem algo parecido com isso.

Para mim, que escrevo melhor do que falo, não serve para muita coisa.
As capas de ficção científica e fantasia são excelente material masturbatório, mas poucas dão vontade de ler o livro.
Você já sabe das novidades.

2.11.08

A Baconnaise resolve muitos dos meus problemas.
Muito pouco mudou no funcionamento dos bancos - e suas crises periódicas - dos Médici até hoje.